senha

CRB Realizou o Seminário “Relações Humanizadoras e Solidárias", Com Pe. Amedeo Cencini

em 01/07/2017 | 00h00min

CRB Realizou o Seminário “Relações Humanizadoras e Solidárias", Com Pe. Amedeo Cencini

Com o objetivo de dar continuidade à cultura do encontro, contida na 2ª prioridade do Plano Trienal da CRB Nacional, realizou-se nos dias 25 e 26 de junho, no CCB, em Brasília (DF), o seminário: “Relações Humanizadoras e Solidárias" com a assessoria de Pe. Amedeo Cencini, religioso canossiano.

O assessor, Pe. Amedeo Cencini, canossiano, atualmente, reside em Verona, Itália. É Mestre em Ciências da Educação, doutor em Psicologia, especializado em Psicologia Analítica, formador, professor da Pastoral Vocacional e Formação. É professor na Universidade Gregoriana, em Roma.

Para Cencini, no evento comunitário está escondida uma memória antropológica central: o homem não é apenas um ser racional, mas também, e talvez acima de tudo, um ser relacional.

Ele destaca a "aventura particular" que homens e mulheres se propõem: "Aquela de viver juntos, não por vínculos de sangue e afinidades naturais, mas unicamente porque um mesmo chamado do alto os reuniu e os fez irmãos e irmãs, desafiando de alguma forma as leis da convivência humana e os seus rigorosos critérios eletivo-seletivos. A vida em comum dos religiosos é a prova pública de que isto é possível, que o desafio pode ser vencido por força da Graça, ou na medida em que aquele amor que fez o homem capaz de se relacionar".

Cencini ainda fala sobre o amor fraterno que é fruto de um caminho difícil que muitas vezes não tem a atenção suficiente na formação inicial e continuada: "Se o homem é relação, de fato, a tentação mais forte e constante será aquela de negar a relação, de fechar-se em si mesmo, de ver no outro um inimigo, de ver a vida como um conflito de relacionamento perpétuo no qual apenas um ganha. Neste sentido, se Deus é relação e fonte da relação, Satanás é a não-relação, uma verdadeira e própria cultura de morte".

Entre vários caminhos para a vivência comunitária, aponta para: passar do “fazer o bem” ao “querer-se bem”, viver a partilha da história e da fé, ter projeção missionária.

Conclui que uma comunidade de fiéis e consagrados deveria ser o lugar no qual o Espírito de Deus pode continuar a “brincar com as diferenças”, ou no qual pode encontrar alguém que aprenda dele esse exercício.

Participaram do Seminário 240 Religiosos/as provenientes de várias partes do Brasil. Ir. Ana Teresa – BRJ e Ir. Amélia Assis – BRE participaram do Seminário.

Para Ir. Ana Teresa participar do Seminário foi uma oportunidade para retomar a Vida Religiosa Consagrada na sua essência: de seguimento e serviço ao Reino em vista de uma missão. Seguimento este que deve ser um projeto de vida feliz.

veja mais fotos

Fonte: Redação

  Eventos - Fevereiro

Nenhum registro encontrado!

Ver todos eventosver todos eventos