senha

O XXIIICG Chega à Conclusão

em 14/11/2014 | 00h00min

O XXIIICG Chega à ConclusãoAs Capitulares estão vivendo o último dia completo da assembleia capitular, que foi inaugurada no último dia 22 de setembro. Sábado, dia 15, festa da Bem-aventurada Maddalena Morano, o Capítulo se conclui e pouco a pouco todas retornarão à própria realidade da vida cotidiana.
Estes últimos dias foram marcados por momentos intensos de partilha, de troca de ideias e de perspectivas, de avaliação sobre os caminhos percorridos. Na semana que está por terminar as Capitulares estiveram empenhadas na aprovação das Propostas feitas pelo Instituto e que ainda não tinham sido consideradas. Também foi dedicado um tempo ao Regulamento do Capítulo, com alterações sugeridas pelas participantes e com a devida discussão. Será o novo Conselho geral a rever o texto na sua totalidade e avaliar como incorporar as mudanças propostas.

Uma tarde foi dedicada à partilha por conferências interinspetoriais, a fim de propor sugestões ao Conselho Geral, em vista da Programação do sexênio e das visitas às Inspetorias. Além disso, foram feitas sugestões para as Avaliações trienais e compartilhadas propostas sobre a comunicação do CG XXIII às Inspetorias. Em relação a isto, a Comissão capitular para a Comunicação preparou um vídeo com a apresentação sintética sobre o percurso capitular, incluindo também os diversos eventos realizados nestes meses. Tal apresentação (elaborada com o programa Prezi) foi muito apreciada por todas como um meio oportuno para a transmissão do CG XXIII.

Muitos encontros desta semana foram dedicados ao estudo do Documento capitular que hoje será aprovado. A sua elaboração implicou em um itinerário laborioso, conduzido com disponibilidade e inteligência pelas Irmãs da Comissão de redação e pela colaboração de todas as Capitulares que fizeram suas observações. Para o planejamento, a elaboração e revisão das diferentes partes do documento, a Comissão dedicou muita energia e tempo extra, tudo em um estilo de flexibilidade e acolhida fraterna. O motivo de fundo que acompanha todo o documento é a história de Emaús (Lc 24, 13-33), que serve de fio condutor em todo o texto. A imagem escolhida como referência é uma pintura de Elda Broilo, religiosa Scalabriniana do Brasil, que oferece uma interpretação original em três cenas. As cenas falam de escuta, de encontro e decisão de retomar o caminho. O mesmo foi vivido como experiência capitular, e agora se torna paradigma para cada Comunidade educativa. “Um processo semelhante de renovação – diz o Documento – se verifica em cada CE quando esta escuta a realidade, quando é aberta ao diálogo, quando é disponível a reler a vida à luz do verdadeiro encontro com Jesus, que motiva a se aproximar dos outros com entusiasmo, com alegria, conscientes de que somos discípulas missionárias”.

Fonte: Redação